Vamos falar de inclusão escolar?

Resolvi escrever sobre a minha atual situação pra compartilhar com vocês a real e verdadeira inclusão escolar que tanto se fala e por que tanto lutamos. Já te adianto que você vai entrar pra uma guerra que está longe de acabar, mas saiba que tem uma galera muito bacana que já está nessa luta há tempos e vai te ajudar nisso! Vem comigo! 

Essas últimas duas semanas em que não levei a pequena na escola por vários fatores externos e de saúde, aproveitei para ler um pouco mais a respeito da inclusão escolar e o que temos disponível a nosso favor. Li sobre educação inclusiva na LBI (Lei Brasileira da Inclusão), li o fascículo da Escola Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar disponibilizada pelo MEC, e vi vários vídeos sobre esse tema. No final do post vou disponibilizar todos os links pra vocês! 

Matriculei minha filha na escola no final do ano passado, e já me adiantei ao levar junto aos documentos de matrículas, o laudo da deficiência dela bem como solicitação de acompanhamento exclusivo durante o período escolar. Sonho meu achar que estava tudo perfeito. O sistema não está preparado para a inclusão. Não basta aceitar o aluno deficiente na escola, é necessário oferecer condições de acesso, permanência, participação e aprendizagem a todos os deficientes. 

Pra que isso aconteça é necessário, primeiro de tudo, capacitação. Digo isso porque o primeiro dia de aula da Déborah foi ótimo, a estagiária estava lá, diretora e coordenadora estavam de braços abertos para nos receber, mas e depois? Ninguém sabia como proceder. Claro que eu me disponibilizei para acompanhar a estagiária pelo tempo necessário de aprendizagem dela sobre como lidar com uma criança cega e com atraso neuropsicomotor. No segundo dia a estagiária não foi, desistiu.  

Não culpo a profissional por ter ido embora, até porque o governo joga estagiários que na maioria das vezes nunca tiveram contato com criança alguma, quiçá com uma criança especial. Eles não têm o mínimo de capacitação para saber como agir com qualquer deficiência. E é só assim que vamos começar a ter a verdadeira inclusão nas escolas regulares, capacitando profissionais para tal responsabilidade. 

Veio a segunda estagiária, que também não ficou e agora estamos na terceira, que me parece muito interessada em aprender e se disponibiliza o tempo todo para fazer cursos a respeito da deficiência da minha filha. Mas e aí, quem paga essa capacitação? Deveria ser o governo, no meu caso, a prefeitura da minha cidade; mas quem disse que a prefeitura está com contrato de repasse à instituição/ escola especial em dia? Se a culpa é da prefeitura ou da instituição com atendimento especial eu não sei, mas quem paga o pato é a minha filha, o seu filho, que ficam sem assistência capacitada para promover o cumprimento da lei, que é linda no papel e tão difícil na prática. 

Sem comentar que eu vejo uma estagiária cuidando de duas crianças em uma única sala. Uma das crianças vive correndo no pátio. Creio que as meninas são autistas, pois são não verbais, saem correndo por diversas vezes de dentro da sala de aula, creio eu que por serem expostas a muitos estímulos sensoriais. Como uma profissional pode cuidar de duas crianças especiais? Isso é mais um de tantos pontos que precisamos rever na inclusão de deficientes na escola regular. 

Eu tenho tanto para falar sobre esse assunto que poderia escrever até amanhã e ainda não teria acabado de expor tudo o que quero, então vamos fazer assim, continuamos falando sobre isso num próximo post ok? Assim você não se fadiga com o nosso bate papo! 

Só peço que não desistam nunca de lutar pelos seus direitos, pelos nossos direitos! Nossos filhos precisam aprender sim, mas da melhor forma para eles. Cada um aprende em um ritmo e com uma metodologia. Quando entendermos isso, vamos iniciar a inclusão de forma válida. 

 

Segue os links que comentei no início do post. Vale muito a pena ver todos! 

Lei Brasileira de Inclusão (LBI): http://maragabrilli.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Guia-sobre-a-LBI-digital.pdf 

Escola Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: https://inclusaoja.com.br/2011/05/27/colecao-a-educacao-especial-na-perspectiva-da-inclusao-escolar/ 

Live Fb “Lagarta Vira Pupa” com Lucelmo Lacerda (Especialista em educação especial, inclusica e Políticas de inclusão): https://www.facebook.com/lagartavirapupa/videos/1688646227838837/ 

Vídeos do canal “Lagarta Vira Pupa”: 

https://youtu.be/FpevhDR6hks | https://lagartavirapupa.com.br/a-dificil-inclusao-escolar/ | https://youtu.be/j06XUSy0UlE 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s